Quem somos
 

Você entenderá melhor quem somos depois de imaginar um pouco quem nós “fomos”: Nós da trasmuta fomos aquelas crianças que ficavam em silêncio por horas, imersas em mundos imaginários.

Nós fomos aqueles filhos que cortavam e colavam papéis pela casa com desenhos e formas para transformá-la ao nosso modo.

Fomos adolescentes que observavam o mundo e mantinham uma indignação constante de que as coisas funcionavam num ritmo estranho, muito estranho.
 

E por isso

Nós fomos aqueles jovens que tinham a convicção de que um certo olhar precisava mudar sobre o mundo. Pessoas inquietas, que buscam o que não conhecem e desconfiam daquilo que sentem. Algo nos impulsionava a tomar uma posição.
 

E de fato

Nós somos um grupo de criadores de moda que enxergam a quantidade de desperdício de energia na marginalização das peças de roupa. Temos a oportunidade de escolher seguir numa direção diferente, e de fato escolhemos migrar.
 
Estamos crescendo nesse grupo transformando, transgredindo, sendo intransigentes e inovadores, estamos atrás de conhecimento, saberes e entendimentos. O brilho na sombra, a elegância na simplicidade, o poder de mergulhar na essência e sonhar o novo com o que é disponível.

Somos alquimistas têxteis, somos cientistas da roupa, estudamos enquanto sentimos, catalisamos a energia vital das peças que transmutamos, trazemos a vibração do agora para aquilo que perdeu sentido de existência, terapeutas com linha e agulha na mão e muita vontade de fazer. Nesse jogo maluco e delicioso de encontrar no velho o novo, explodimos como um asterisco tridimensional em todas as direções. Estamos lendo, trocando idéias, filosofando ao nosso modo, vislumbrando novas possibilidades, ouvindo de tudo, vendo e vendo de novo, estamos ligados e sintetizando algo, um jeito diferente de ver, vestir e viver. Estamos sintonizando o mundo nas novas frequências do consumo. Menos descartável e mais permanente, único. Menos quantitativo e mais qualitativo. Íntimo. Consciente.